Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dia Mundial de luta contra a pobreza

por Mäyjo, em 17.10.18

5304128_JzyvM.jpeg

17 de Outubro é Dia Mundial de luta contra a pobreza.

É sempre difícil imaginarmos a grandeza dos níveis de pobreza no Mundo inteiro e, mais ainda, uma forma de ajudarmos a minorá-la.

Sendo missão da Oikos a erradicação da pobreza, neste dia associamo-nos a essa causa e propomos que faça neste dia um donativo de 1€. Sendo um valor pequeno, se todos contribuírem será significativo para milhares de pessoas a quem a Oikos leva a esperança de uma vida mais digna.

 
Vivemos, ainda hoje, num Mundo onde mais de mil milhões de pessoas (uma em cada sete) passam fome e 200 milhões sobrevivem sem emprego. No entanto, somos a primeira geração da história da humanidade com os meios para poder acabar com a pobreza e a desigualdade.


 
Temos os meios. Será que temos a vontade?

Vamos mostrar que não somos indiferentes e exigimos mudança… antes que seja tarde demais! 

erradicao_site.jpg

E ofereça o seu sorriso a alguém, como sinal de esperança num Mundo que todos queremos que seja melhor… é impagável a força de um sorriso.

 

Fonte das imagens:crebis-ebis.blogspot.com e caritas.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:15

Ranking da corrupção em 2016

por Mäyjo, em 10.01.18

estudo feito.jpg

Estudo, feito pela Transparência Internacional, analisa perceção da população dos países sobre a corrupção; Dinamarca e Nova Zelândia lideram ranking como menos corruptos.

O ranking leva em consideração a perceção que a população tem sobre a corrupção entre servidores públicos e políticos. Quanto melhor um país está situado no ranking, menor é a perceção da corrupção por seus cidadãos.

A pontuação do ranking vai de 0 (extremamente corrupto) a 100 (muito transparente).

A Somália, com 10 pontos no ranking, é o país com maior perceção de corrupção dentre as nações analisadas. O país africano ocupa a última posição no ranking pelo décimo ano consecutivo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:01

ADIDAS ANGARIA DINHEIRO PARA EMPODERAMENTO DAS MULHERES

por Mäyjo, em 18.07.17

Adidas UltraBOOST X

Fotos: Adidas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:25

Escravos de hoje

por Mäyjo, em 27.06.17
35,8 milhões de pessoas vivem em escravidão, de acordo com as estimativas do relatório The Global Slavery Index 2014.
 
Segundo este relatório "Escravidão moderna implica que alguém possua ou controle outra pessoa, privando-a da sua liberdade individual com a intenção de a explorar através da sua utilização, gestão, lucro, transferência ou descarte."

Foto de Lisa Kristine, extraída do video
Em 2010 e 2011, a fotógrafa Lisa Kristine documentou a vida insuportável dos escravos modernos. Homens, mulheres e crianças com grau zero de liberdade; muitos a vida toda, nem conhecem outra realidade.

Lisa prometeu-lhes que mostraria as suas fotografias para que o mundo soubesse, como fez na palestra TEDabaixo (jan 2012) onde lhe presta uma homenagem.



"Você pode escolher olhar para o lado, mas nunca poderá voltar a dizer que não sabia."   
William Wilberforce (abolicionista, 1759-1833)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:21

Muhammad Yunus: "Uma nova lógica"

por Mäyjo, em 12.05.17

 

A não perder, a leitura de um artigo sobre Muhammad Yunus intitulado "UMA NOVA LÓGICA" de Micheline Alves no UOL.  
A seguir, algumas frases de Muhammad Yunus extraídas do artigo:

Imagem obtida aqui
«Há 85 pessoas no mundo que têm mais da metade de toda a riqueza do planeta. Já a metade mais pobre da população mundial detém menos de 1% desses recursos. Que mundo é esse? Minha luta tem sido contra essa estrutura. As pessoas não podem fazer nada além de tocar o barco como foi concebido. Luto por uma nova máquina, por alternativas, por um movimento contrário. A estrutura que existe não vai resolver nosso problema. A disparidade de renda só piora, a riqueza se concentra em pouquíssimas mãos.»

«Uma questão essencial está na ideia de emprego. Quem disse que nascemos para procurar emprego? A escola? Os professores? Os livros? Sua religião? Seus pais? Alguém colocou isso na cabeça das pessoas. O sistema educacional repete: ‘você tem que trabalhar duro’. Seres humanos não nasceram pra isso. O ser humano é cheio de poder criativo, mas o sistema o reduz a mero trabalhador, capaz de fazer trabalhos repetitivos. Isso é vergonhoso, está errado. As pessoas precisam crescer sabendo que é uma opção se tornar empregado, mas que existe a possibilidade de ser empreendedor, seguir o próprio caminho.»

«Qual a utilidade do conhecimento se ele não chega às pessoas? Em Bangladesh, tínhamos pessoas morrendo de fome. Faz sentido ensinar teorias tão bonitas, das quais somos tão orgulhosos, e elas não terem o menor significado na vida de quem não pode comer? Há muitas maneiras de morrer, mas a fome é uma das mais dolorosas. Lidar com teorias económicas diante de pessoas morrendo assim era uma piada.»

«Na crise de 2008, eu estava em Nova York. Vendo as notícias sobre o colapso, os escândalos, lembrei daquele gerente que procurei e pensei: quem merece crédito, afinal? Quem está dando calote? Os pobres a quem empresto dinheiro me devolvem cada centavo.»

«Muita gente diz que isso não é um negócio de verdade. Se não tem lucro, não é negócio. De onde vem essa definição? É negócio, sim. É decisão minha não ter lucro. Se a teoria não se encaixa no que eu criei, não sou eu quem está errado; é a teoria.»
 
Fonte: Uma Nova Lógica, de Micheline Alves em UOL, 21/7/2015

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:17

A pobreza no mundo traduzida visualmente

por Mäyjo, em 02.05.17
De acordo com as projeções do Banco Mundial, cerca de 702 milhões de pessoas, ou seja 9,6% da população mundial, viviam abaixo da linha da pobreza em 2015, principalmente população que vivia na África Subsaariana e na Ásia.
Em 2012, o total era de 902 milhões, ou seja, cerca de 13% da população mundial. Em 1999, a percentagem era 29%.
O conceito de extrema pobreza está relacionado com o dinheiro de que a pessoa dispões para viver: quem viver com menos de US$ 1,9 por dia considera-se que está numa situação de pobreza extrema. A linha global de pobreza é baseada na Paridade do Poder de Compra nos países mais pobres do mundo.
As imagens abaixo mostram a linha a pobreza extrema no mundo, em 1990 e 2013, respetivamente. Aceda à versão interativa.

giphy.gif

Captura de ecrã 2017-05-02, às 21.35.11.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:26

WC portátil e ecológico

por Mäyjo, em 27.01.17

casa de banho_a

A vila flutuante de Prek Toal, no Camboja, está a colocar o poder natural de filtro das plantas das zonas húmidas ao serviço da população, retirando os contaminantes presentes nos seus esgotos. Desde sempre que as vilas flutuantes no lago Tonle Sap enviam os dejectos humanos directamente para a água, mas a bactéria tem causado várias doenças na população e nos animais que fazem de Tonle Sap o seu habitat – entre elas a cólera, diarreia ou simples náuseas.

 

Prek Toal é uma das 200 vilas flutuantes do lago, que é casa para mais de 100.000 pessoas. A pequena vila encontra-se totalmente depende do lago: as suas escolas, casas, mercearias e até a esquadra de polícia são flutuantes.

Até agora, a maioria da população utilizava o lago como casa de banho, mas o cenário está a mudar. Estão a ser construídas casas de banho flutuantes que irão manter o local saudável com a ajuda das plantas nativas, que irão filtrar os resíduos antes de os fazer regressar ao lago.

Desenvolvida pela Wetlands Work, a casa de banho envia todos os resíduos humanos para uma espécie de casulo que contém plantas como hiacintos, que têm os microrganismos necessários para embeber os resíduos das toxinas na água. Estes micróbios poderosos podem limpar a água até 99,999999%, retirando bactérias como a E. Coli sem utilizar químicos.

As Handy Pods – assim se chamam as casas de banho – podem também ser feitas a partir de materiais locais, sem custos ou impacto ambiental. Financiado pelo Grand Challenges Canada, o projecto da Wetlands Work está a ser trabalhado em parceria com o WaterAid Cambodia.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:54

COMIDA EM PÓ FEITA COM PRODUTOS FORA DE PRAZO PODE AJUDAR A ACABAR COM A FOME NO MUNDO

por Mäyjo, em 18.01.17

fopo_SAPO

Todos os anos, os consumidores globais desperdiçam 1,78 mil milhões de toneladas de alimentos – o equivalente a €680 mil milhões de perdas económicas, de acordo com as Nações Unidas. As duas principais razões para que tal aconteça estão ligadas ao consumo sem sentido: ou compramos coisas que depois não usamos ou preparamos alimentos que depois não consumimos.

 

Qualquer que seja a causa para o desperdício alimentar, ela deve ser erradicada. Para responder a este ciclo vicioso, um grupo de estudantes criou o FoPo, um marca de comida em pó que recolhe produtos perto do prazo final de validade e pulverizam-nos até que fiquem secos e em pó, o que lhes permite prolongar a sua vida útil por dois anos.

A ideia foi desenvolvida por Kent Ngo, um estudante sueco de engenharia, e pelo estudantes de design de produto e inovação alimentar Gerald Marin e Vita Jarolimkova, em Dezembro de 2014. Duas outras colegas – Lizzie Cabisidan e Ada Balazy – juntaram-se mais tarde ao projecto.

“Não estamos a criar um novo produto ou tecnologia, mas sim a criar valor a partir da ineficiência do sistema alimentar”, explicou Marin ao Mashable. “A inovação do nosso negócio é o facto de recebermos as frutas e vegetais cujo prazo de validade está a expirar”.

Para já, o pó tem três sabores: banana, manga e framboesa. Na calha está o sabor de ananás. Todos retêm entre 30 a 80% do valor nutritivo do fruto, de acordo com a empresa, e podem também ser colocados no topo de iogurtes ou gelados e utilizados na confecção de bebidas.

A FoPo tem tido algum sucesso em conferências dedicadas às startup ou desafios de novas empresas – recebeu um investimento de crowdfunding do Bem & Jerry’s Join Our Core, por exemplo, e ficou em segundo na Thought for Food.

Segundo a nutricionista Susan Tucker, citada pelo Mashable, a comida em pó pode ser importante em situações ligadas a desastres naturais, fome ou até no campismo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08

Angola, um país rico com 20 milhões de pobres

por Mäyjo, em 02.01.17

Uma sugestão para iniciar o estudo do tema do desenvolvimento.

Esta reportagem da SIC, mostra bem os contrastes de desenvolvimento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:07

Aparelho que desinfecta a água

por Mäyjo, em 20.09.16

purificador de água

ESTE PEQUENO RETÂNGULO, POUCO MAIOR QUE UM SELO, CONSEGUE DESINFETAR ÁGUA EM APENAS 20 MINUTOS

 

Fotos: Stanford University

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D